sábado, 4 de junho de 2011

Credo, um bicho!

Da campanha eleitoral agora terminada pouco há a reter. O momento mais marcante, ou pelo menos aquele que me ficou na memória, foi protagonizado por Francisco Louçã quando, referindo-se às posições assumidas por um adversário politico cujo nome não me recordo e nem agora vem ao caso, contou a história do contrabandista que trazia a camioneta cheia de porcos. O homem, apanhado pela Guarda, quando o agente da autoridade o confrontou com o carregamento de suínos, desatou ao berros, num misto de estupefacção e de indignação, gritando a plenos pulmões: “Credo, um bicho! Credo, um bicho!” 
Existe em cada um de nós um contrabandista. Quando confrontados com os nossos contrabandos reagimos quase sempre assim. “Credo, um bicho!” Deve ser por isso que, invariavelmente, nos colocamos ao lado daquele que contrabandeia e contra o agente da lei. Embora, ironia das ironias, seja a este último que pagamos o salário para apanhar o primeiro. Somos mesmo parvos!

4 comentários:

  1. Gargalhadas...e bem visto:) Parabéns porque este teu post foi o melhor de toda a campanha:)

    ResponderEliminar
  2. Bom resumo da campanha.
    Pois somos, parvos. E quem nos governa sabe disso...

    ResponderEliminar
  3. Meu Caro Kruzes Kanhoto,
    ou não, imagine quão confortável é ter um pezinho em cada campo...
    Como o sujeito atravessando um pequeno tronco que fazia de ponte sobre o abismo e pediu a Deus e ao Diabo que o fizessem chegar bem ao outro lado.

    Abraço

    ResponderEliminar