sábado, 8 de janeiro de 2011

Quanto é que isto dá em abonos de família?

Por desmandos como os que hoje são revelados pelo Diário de Noticias não constituírem novidade, são do conhecimento de quase toda a gente medianamente informada, é que fico com os meus poucos cabelos em pé sempre que ouço uns quantos javardolas debitarem alarvidades quando se pronunciam acerca da alegada crise. Nomeadamente quanto aos motivos que nos fizeram chegar a este ponto e às mezinhas que preconizam para isto entrar nos eixos. Vem, invariavelmente, sempre à baila o celebre, mas nem por isso menos miserável, aumento de 2,9% em vésperas de eleições no ordenado dos funcionários públicos. Esquecem-se os papalvos que, no escasso período de dois anos, tudo isso foi devorado por sucessivos aumentos de impostos e contribuições. Só em IRS, ADSE e CGA já lá vão quatro por cento. Mesmo para quem aufere fantásticos vencimentos de seiscentos ou setecentos euros. Além do desaparecimento de mordomias injustificáveis como, por exemplo, o abono de família. Tudo injustiças a que um governo deste partido socialista teria de pôr cobro.

2 comentários:

  1. Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
    Cumprimentos a todos!

    http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. e quem nos arrastou para a actual situação juntando a crise internacional, foi o PSD e o PS num compadrio VERGONHOSO. Eles puseram a salvo o que roubaram e nós povo que comamos o pão que o diabo amassou.

    O actual governo deveria pôr cobro, mas o que tem feito é o que se sabe e que sentimos na pele.

    ResponderEliminar