sábado, 8 de novembro de 2008

Cortes do c...

A política de saúde tem nos últimos anos sido caracterizada por inúmeros cortes orçamentais, encerramento de serviços, nomeadamente no interior, e uma diminuição acentuada das comparticipações do Estado nos custos com os cuidados de saúde. Pior ainda é o facto de diversas especialidades praticamente nem existirem num Serviço Nacional de Saúde, cada vez menos tendencialmente gratuito e cada vez mais longe de prestar aos cidadãos um serviço minimamente aceitável e ajustado às necessidades da população.

Há, no entanto, bizarras contradições. Enquanto tratamentos aparentemente simples, rotineiros e banais, como por exemplo extrair um dente, não são garantidos de forma gratuita à generalidade dos utentes, quem quiser mudar de sexo pode fazê-lo completamente de graça. À borla, se preferirem. O Estado paga. O mesmo Estado que não tem recursos para garantir a gratuitidade de medicamentos indispensáveis à sobrevivência de alguns, proporciona a outros a possibilidade de efectuarem cirurgias só porque, por um desequilíbrio mental qualquer, acham que deviam ser do sexo contrário. Ou seja, vivemos num país onde, a qualquer cidadão, cortar a pila sai mais barato que arrancar um dente ou tratar de uma unha encravada.

4 comentários:

  1. Muda se Sexo7:19 da tarde

    Ora meu amigo, o senhor não sabe o porquê de o Estado comparticipar a 100% a cirurgia de mudança de sexo?
    - O nosso V/ primeiro à 3 anos sensivelmente que pensa nisso de hora a hora.
    - Vai chegar o dia que ele vai mudar de...
    - Como tirou engenharia sem pagar um cêntimo (ofericida).
    - Como não paga um cêntimo para comer e vestir que nós pagamos.
    - Vai mudar de... e nós pagamos.
    - Para ano o amigo escolhe entre a Manuela e a José é giro não é?

    ResponderEliminar
  2. Uma duvida me assalta. O que cortam a eles é para pôr a elas?

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso. Apesar de alguma discordância considero que bateste no ponto certo.
    E ainda fazem a avaliação oral no ensino básico.
    Aí é o princípio, o problema de fundo é mais tarde. E aí não há nada para ninguém.
    Um conselho. Compra uma acções do BPN e está tudo resolvido. O Sócrates toma conta da situação e injecta lá uns euros. As acções sobem à nossa conta, porque pagamos, e, a seguir vendes as mesmas e vais ao dentista.
    Se investires poucos euros estás lixado. Só te manda abrir a boca...

    ResponderEliminar
  4. Caro Kanhoto, a saúde em Portugal aos poucos vai se tornar privada. É aquilo que penso.

    ResponderEliminar