sábado, 3 de maio de 2014

Melões há muitos. E de todas as cores.

Sou benfiquista e isso me envaidece. No entanto apenas muito raramente por aqui deixo uma ou outra manifestação da alegria ou da tristeza que me invade a alma por causa das vitórias ou das derrotas do glorioso. Isto porque falar ou escrever de forma racional sobre futebol está ao alcance de poucos. E eu, reconheço, não estou incluído nesse número.
Seria, porém, de esperar que quem não gosta do desporto-rei usasse de mais alguma racionalidade quando disserta sobre ele. Coisa que, frequentemente, não acontece. Veja-se tudo o que tem sido escrito e dito a propósito das comemorações do titulo de campeão pelos adeptos do Benfica. Nomeadamente os lamentos de certa malta pela massiva adesão popular a estes festejos quando, alegam, as pessoas que nelas participam se revelam incapazes de se juntar às manifestações de protesto contra o governo.
Parece difícil de perceber a essa gentinha – que discursa do alto da sua auto-proclamada superioridade intelectual - que uma coisa nada tem a ver com a outra. Daí ser, para mim, difícil de entender o incomodo. Até porque no Marquês, uma praça pequenita, não estariam mais, segundo as televisões, de vinte mil pessoas. Já no gigantesco largo frente à escadaria da Assembleia da Republica é costume a CGTP e o Partido Comunista contarem, pelo menos, sessenta mil manifestantes. Perante uma disparidade destas nem sei do que se queixam...

7 comentários:

  1. Sessenta mil? Meu caro, tire lá um zero e fica assim.
    No fundamental, estou de acordo consigo. A forma como muita gente, com os 'cu-mentadeiros' na frente, fala do Benfica é, no mínimo ridícula e demonstrativa de uma pequenez arrepiante.

    Racionalidade é, por exemplo, reconhecer a maravilhosa época do Sport Lisboa e Benfica.
    Ser racional é, por exemplo, demonstrar a tal capacidade de reconhecer o evidente.

    Somos o que somos - eu afasto-me já - temos o que merecemos.
    E os melões desta época até têm cores diversas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sessenta mil na AR e um milhão no Terreiro do Paço é o mínimo de manifestantes que se concentram por aquelas bandas...Estou a ser irónico, claro.

      Eliminar
  2. Vivóooooooooooooo o BENFICA e não ligues a isso porque já basta sermos "atormentados" pela tesoura maquiavélica de um governo ainda bem pior!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva o glorioso! Pelo menos esse faz o povo ficar contente!

      Eliminar
  3. A sério? Então o melhor seria irmos festejar da próxima vez para o pé da Assembleia da República, já que lá cabe mais gente. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só cabe mais gente se for uma manifestação de esquerda...

      Eliminar