domingo, 16 de maio de 2010

Produtividade

Um dos nossos problemas enquanto país é a produtividade. Ou, no caso, a falta dela. Argumenta-se quase sempre que o Estado possui uma máquina pesada, desadequada à realidade actual, pouco produtiva e, em consequência disso, constitui um sorvedouro de recursos essenciais que deviam ser colocados à disposição do tecido empresarial que, ele sim, é o verdadeiro motor da economia e o único capaz de gerar riqueza  por possuir uma capacidade de optimizar os meios que tem à sua disposição de uma forma muito melhor do que o Estado alguma vez fará.
Acredito em tudo isso. Ou quase. Apenas me faz confusão, quando no sector público isso é absolutamente banal, que muitas empresas não tenham ainda um site na internet. Ou, sequer, um contacto de correio electrónico. Já nem refiro a relutância que muitos ainda demonstram em fornecer o número de identificação bancária, mesmo que isso signifique uma forma de agilizar procedimentos e antecipar recebimentos de clientes.
Elejo, no entanto, como símbolo máximo da falta de produtividade aquelas empresas – e não são poucas – que, apesar de facilmente o poderem fazer, continuam a enviar toda a sua facturação ou outro tipo de correspondência, nomeadamente para organismos públicos e para outras empresas, por via postal. Cada carta custa trinta e dois cêntimos mas, ainda assim, este continua a ser o meio preferido de os nossos empresários comunicarem. Ainda que o façam para a mesma cidade e que, provavelmente, até passem à porta do destinatário antes de chegarem à estação dos correios…

5 comentários:

  1. Não consegui perceber este teu post, porque para "agilizar procedimentos e antecipar recebimentos de clientes" ??? como assim? Sem uma carta...o data dos correios é "uma prova juridica"...mas sinceramente não sei a que te referes!

    Desculpa

    ResponderEliminar
  2. O problema não é das empresas emissoras de documentos, mas sim das empresas receptoras, porque os sistemas ainda não são fiáveis a 100% e o mais seguro é continuar a guardar em papel.
    Por outro lado, se houver uma vistoria oficial à facturação não a vão querer ver em computador e sim em papel que é mais fácil.
    Embora já se trabalhe muito em requisições através de Email.

    ResponderEliminar
  3. Hola! Qué tal? Espero que muy bien :)
    Estaba navegando de sitio en sitio y me encontré con tu blog. Ya que estoy aquí quisiera hacerte una recomendación a ti y a los que te visitan, sobre una página que me pareció muy buena, y que probablemente te vaya a gustar.
    Podrás encontrar información sobre los mejores artistas, acceder a su biografía, datos curiosos, fotos y lo mejor es que podrás descargar música gratis, directo a tu computadora.

    Espero que lo encuentres interesante, chequéalo tu mismo.

    que pases bien =D

    Aquí te dejo el link: http://www.ofertilandia.com/

    ResponderEliminar
  4. Embora a data dos emails tb faça fé, os envelopes e data de entrada da documentação é muitas vezes essencial quando se trata de facturação ou de documentos aos quais se aplique o CPA. De qualquer modo, há hj em dia inumeros assuntos/situaçoes que se podem e devem agilizar e/ou formalizar atraves do correio electronico, com diminuiçao de custos (selo, papel, tinteiros, etc).
    Cumps

    ResponderEliminar
  5. A produtividade.
    Como é possivel produtividade com 1 aumento do IVA?
    Só o nosso governo idealista para querer aumentar a produtividade...
    Ele que trabalhe de sol a sol numa empresa e que ganhe uns 600€, para ver o que é "produtividade"...
    MFCC

    ResponderEliminar