sábado, 2 de agosto de 2008

O exemplo que vem de fora

Voltemos à temática da merda de cão. Sempre actual e sempre presente quer neste blogue quer na(s) cidade(s) em geral. Hoje quero salientar o exemplo, que infelizmente não tive ocasião de documentar em fotografia, de uma senhora – turista e estrangeira – que depois de o seu canito ter evacuado na via pública procedeu à recolha dos dejectos e depositou-os na “papeleira” mais próxima. Algo impensável para a maioria dos que dão voltas e voltinhas ao Rossio acompanhados do seu cãozinho, que vai cagando livremente pela relva sem que os donos recolham a merda que, por direito, lhes pertence.

Temos em Estremoz pormenores magníficos nas nossas calçadas. Mas, infelizmente quase todos “decorados” com merda! Enquanto nos bairros da cidade os residentes deixarem os seus amiguinhos de quatro patas deambularem tranquilamente pelas ruas – que tem para eles a grande vantagem de não lhes cagarem no quintal – este é o triste cenário com que todos os dias os transeuntes se deparam. Mas porque é que ninguém faz nada, porra?! Será que gostam de viver no meio da porcaria?!

3 comentários:

  1. Infelizmente há por todo o lado dejectos de animais, mas também há quem seja civilizado e educado e limpe os "presentes" que o seu animal deixa para trás...
    Pelo menos por aqui assim é cada vez mais.

    bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  2. enforcadinho8:10 da tarde

    novo blogue de desabafos diários, informação, desporto, cultura, politica, mas sem mulheres nuas...

    http://ruadosenforcados.blogspot.com/

    obrigadinha

    ResponderEliminar
  3. Penso que também já o disse aqui uma vez, que vivo no campo e embora não seja uma quinta, visto só ter meio hectare, os meus cães estão sempre lá fora.
    Todos os dias apanhamos os dejectos dos animais.
    Não percebo, como as pessoas podem ser tão porcas.

    ResponderEliminar