domingo, 25 de janeiro de 2015

Crise?! Sabem lá eles o que é isso!

Pouco me importa como cada um gasta o que tem ou o que não tem. Tanto me faz que o esturre em pastéis de nata ou, simplesmente, limpe o cú às notas. Agora o que me desagrada é a lamuria, o queixume e a pieguice. O constante lamento da crise, da austeridade, da carga fiscal e do camandro. Isto, naturalmente, quando vindo de pessoas cujo comportamento evidencia tudo menos viverem dificuldades de ordem financeira.
É o caso das larguíssimas centenas de milhares de pais – e de avós, provavelmente, que nestas coisas gostam sempre de dar uma ajudinha - que despenderam algumas centenas de euros para proporcionar às suas crias a ida a um espectáculo musical por estes dias realizado em Lisboa. Folgo que tenham disponibilidade para o fazer. Ainda bem. É lá com eles e, reitero, nada tenho a ver com isso. Mas, porra, calem-se com isso de estarem a ser roubados, que não aguentam mais austeridade e que não têm nada de vos ir ao ordenado ou às reformas para pagar a crise. Calem-se não vá, como dizia a minha avó, Deus castigá-los. Seja ele – o Deus – qual for.

6 comentários:

  1. Ontem falava sobre isso em encontro familiar: Orra! Não aguento mais essa choradeira (hipócrita e manhosa) nacional!! As pessoas não têm vergonha na cara, não têm um pouquinho de brio, não têm eles inteirinhos no lugar??
    Pois é, eis o resultado da inoculação do verme esquerdista no nosso lindo país...
    Triste, mas tem volta!
    Abraços./-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é a história do "quem não chora não mama..."

      Eliminar
  2. Ontem á noite, por razões de um problema domestico inesperado, percorri 3 restaurantes chineses, procurando um que vendesse "para fora". Todos estavam à pinha. Dinheiro para comer fora não vai faltando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma crise muito sui generis, a nossa...

      Eliminar
  3. Olha eu jamais poderia pagar algo do género aos netos, mas sou pouco lamechas e sempre fiz contas a contar tostões para que umas centenas de corruptos gastem milhões. Isto é que me tira do sério...corrupção a todos os níveis e muita lamechismo de barriga cheia.

    Digo-te mais KK, há quem beneficie de "ajuda alimentar e não só" sem precisar, como o fazem não sei, só sei que recebem SIM!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muita gente a beneficiar de ajudas de que, provavelmente, não precisa. Dão-lhes roupa, comida, pagam-lhe a luz, a renda, a água e eles depois passam o tempo nos copos, a fumar e ao telemóvel de última geração. Ah, e o putos agarrados ao tablet. E não,não estou a ironizar.

      Eliminar