segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Semasiologia...

Apesar de ter feito a tropa - Paulo Portas apenas haveria de ser Ministro da Defesa e desobrigar os jovens portugueses dessa tortura que era o serviço militar obrigatório vinte anos mais tarde – sempre detestei armas, nunca suportei comportamentos militaristas e ainda hoje detesto alguma linguagem mais belicista que de vez em quando é empregue mesmo em situações que pouco tem a ver com a “arte” da guerra.
Claro que também não sou nenhum pacifista. Pelo menos daqueles que, entre um e outro charro, espatifam montras ou correm policias à pedrada nas cidades onde se realizam as cimeiras do G8, do G20 ou de outra coisa qualquer que envolva lideres políticos ocidentais. Que, como se sabe, são os grandes responsáveis por tudo o que de mau acontece no planeta.
Defendo, isso sim, que algumas expressões que envolvem um potencial conteúdo bélico deviam ser eliminadas do nosso vocabulário. “Contar espingardas” é uma delas. Usa-se quando alguém, ou uma organização, pretende conhecer os apoios de que dispõe e com que pode contar numa qualquer disputa. Reparem como evitei usar as palavras batalha, peleja ou contenda e façam-me o favor de não me recordar que quem disputa não mede bem as palavras...
É por isso que faço questão de saudar as forças politicas que ultimamente tem organizado almoços, jantares, lanches, ceias ou seja lá o que for que envolva comezaina. Por mais discussão que o numero de comensais presentes em cada um dos repastos suscite entre os apaniguados, pelo menos num aspecto estamos já a dar uma lição ao mundo. Por cá não se contam espingardas. Fazemos algo de muito mais saudável, civilizado e que, ou muito me engano, ficará na história. Contamos talheres.

2 comentários:

  1. Há armas e armas, ainda ontem o Irão efectuou o lançamento de 1 novo tipo de míssil (de seu nome "Sijil" coincidencia ou não, parece-se com a palavra "sigilo") com o alcance de 2000 (dois mil) quilómetros...
    Isto significa que passa por aqui e o alcance é do outro lado do oceano...
    Em nome da DEFESA faz-se isto... Agora imagine-se uma "arminha" glock, perante este cenário, o que significa?
    Os repastos dos políticos é para confirmar a máxima "Com papas e bolos enganam-se os tolos"!
    MFCC

    ResponderEliminar
  2. Estremoz de Verdade1:14 da tarde

    http://estremozdeverdade.blogspot.com/

    ResponderEliminar